VIU ISSO? | Jardineiro tem auxílio-doença barrado no INSS e descobre que falsário se aposentou em seu lugar

Notícias

Impossibilitado de trabalhar por causa de cirurgia, José de Oliveira, de Viradouro (SP), reclama que não teve amparo da Previdência Social ao descobrir fraude: 'fica jogando que nem sapato.'

G1 - Submetido a uma cirurgia no intestino e sem condições de trabalhar, o jardineiro José de Oliveira, de 64 anos, de Viradouro (SP), recentemente procurou a Previdência Social para marcar a perícia e solicitar o auxílio-doença, mas seu pedido foi barrado.

A justificativa: os dados dele não só tinham sido utilizados indevidamente como também o falsário, de Ribeirão das Neves (MG), já estaria recebendo uma aposentadoria em seu nome.

"Falou realmente que tinha uma pessoa aposentada no meu nome, que eu não poderia aposentar, não poderia fazer nada comigo. Essa foi a indignação minha, não é possível uma coisa dessa", diz.

Em nota, o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) informou que está verificando a situação aposentada na agência e não mencionou se o dinheiro da aposentadoria continuará sendo pago diante das suspeitas de fraude.

Sem amparo de quem o atendeu, Oliveira procurou a Polícia Civil e registrou um boletim de ocorrência por estelionato, mas não sabe como vai fazer para se virar sem os recursos a que tem direito enquanto a situação não é esclarecida.

O delegado Emerson da Silva Abade disse que ouviu a vítima nesta quarta-feira (21) e que vai requerer mais informações ao INSS para confrontar as informações e descobrir desde quando a aposentadoria vem sendo paga indevidamente

"Agora a gente tem que aguardar a resposta da Previdência Social e de outros órgãos que possam nos passar informações para esclarecer o que efetivamente aconteceu em relação a esse senhor", disse.

Ele disse que vai expedir uma carta precatória a Minas Gerais para obter as declarações do suspeito de receber os valores. "Fica difícil pro cidadão tomar conhecimento a respeito de uma eventual fraude antes que ela venha acionar o órgão competente requerendo algum benefício."

Indignação

A vítima conta que tinha ido à agência do INSS em Bebedouro (SP) com agendamento para fazer a perícia e requerer o auxílio-doença. Há quatro meses, Oliveira foi submetido a uma cirurgia contra uma diverticulite, tipo de inflamação intestinal, que o afastou do trabalho.

Ele disse ter tido o exame barrado por um médico que o atendeu e a informação confirmada por outro funcionário.

"Eu falei: não, vim fazer uma perícia para pedir afastamento. Ele falou: afastamento é impossível, você está aposentado."

Sem poder trabalhar, o jardineiro conta que depende da ajuda dos filhos. Ele levou toda a documentação à polícia, mas está descrente com uma resposta rápida.